Na última segunda-feira (01), o morador do distrito de Capoeiruçu, Carlos Albrto Reis, entrou em contato com a nossa equipe da Rádio e TV Web Olha a Pititinga, para reclamar da falta de medicamentos disponibilizada gratuitamente pelo município.

Ele está se tratando no Hospital Couto Maia, na capital baiana,  após ser diagnosticado com Esporotricose, doença da mordida do gato.

Carlos afirmou à nossa equipe que o seu tratamento está sendo prejudicado por causa da falta do medicamento e reclamou que tem que se deslocar da sua comunidade para o centro  da cidade para retirada do remédio, mas a quantidade disponibilizada não é suficiente para seu tratamento.

A nossa equipe entrou em contato com a Prefeitura Municipal de Cachoeira, que nos enviou a seguinte nota:

“A Secretaria de Saúde informa, sobre a situação relatada, que o paciente é contemplado com a medicação desde o ano passado. A medicação já chegou ao município, porém, chegaram apenas 60, e está sendo aguardada a chegada do restante. Quanto à retirada do medicamento, por questões de protocolo, por ser um dos que não fazem parte da lista de remédios básicos, e devido ao alto custo, ele não é enviado aos Postos de Saúde, para evitar extraviamento ou desvio. Por isso, exige-se que o paciente retire a medicação, assinando uma ficha, como forma de garantir que de fato tenha acesso. Caso o paciente não possa ir pessoalmente, um responsável ou representante pode ir em seu lugar, munido de RG.”